Empresas: Criação de valor econômico por meio da criação de valor social

Necessidades sociais, e não só necessidades econômicas convencionais definem o mercado.

Michael Porter, Mark Kramer. HBR, Jan 2011


Neste artigo publicado no Harvard Business Review,  Porter e Kramer explicam a atual decadência do mercado capitalista, na qual grande parte do problema está na abordagem de geração de valor já ultrapassada.

Esta abordagem, baseada no desempenho financeiro a curto prazo, pressão por resultados rápidos, traz como resultado a estratégia por aumento do consumo que considerando a crescente concorrência, leva a disputa por preços e em consequência: comoditização, pouca inovação de verdade, crescimento orgânico lento e nenhuma vantagem competitiva.

Por outro lado, esta estratégia exclui considerações sociais e ambientais de seu raciocínio econômico. As comunidades nas quais a empresa opera sentem que o lucro é a sua custa.

Assim, os interesses das empresas divergem cada vez mais dos interesses da sociedade, levando a inevitável perda de legitimidade corporativa, que nem estratégias de responsabilidade social supérfluas conseguem reverter.

Os autores indicam que a solução a esta problemática esta no principio de valor compartilhado, o que significa, criar valor econômico por meio da criação de valor social.

Este conceito reconhece que as necessidades da sociedade e não só as necessidades econômicas, convencionais definem o mercado. Reconhece ainda, que as deficiências sociais criam custos internos a empresa.

A partir de fortalecer o elo entre sociedade e empresa, esta entenderá melhor as necessidades e demandas da sociedade associada a seus produtos, abrindo campo de exploração de novas oportunidades de diferenciação, reposicionamento de mercado, potencializando a real inovação.

Entre os exemplos, os autores citam o impacto na produtividade do trabalhador, como a mudança de cultura organizacional com foco no bem-estar do trabalhador traz um incremento na produtividade e redução de custos.

Para concluir:

A oportunidade de gerar valor econômico através da criação de valor social será uma das mais poderosas forças motrizes do crescimento econômico mundial. Essa ideia representa uma nova forma de entender clientes, produtividade e influências externas sobre o sucesso da empresa. Põe em relevo as enormes necessidades humanas a serem satisfeitas, os grandes e novos mercados a servir e os custos internos de déficits sociais e comunitários — bem como vantagens competitivas a serem obtidas com seu enfrentamento.

Compartilhamos esta visão que reforça o momentum para impulsionar o desenvolvimento de um novo modelo de mercado verdadeiramente inclusivo.

Fonte: Harvard Business Review

%d blogueiros gostam disto: